A Curitiba que não aparece nas propagandas é apresentada ao deputado Túlio Gadelha

A Curitiba que não aparece nas propagandas é apresentada ao deputado Túlio Gadelha

Alessandra mora no Parolin. Ela, o marido e os três filhos vivem em uma casa com pouco mais de 20m², nas proximidades do Rio Vila Guaíra, um afluente do Rio Belém, onde o esgoto é despejado diretamente na água que um dia já foi potável. “Tem a parte de cima da casa, mas a gente tem medo de usar porque está tendo muito tiroteio na região, eu quase levei uma bala perdida e não tenho coragem de deixar meus filhos lá”.

Mas a violência, a falta de estrutura e a falta de saneamento, não são os únicos problemas com os quais a família tem que conviver. Sem creche para deixar os filhos, Alessandra e o marido precisam levá-los ao trabalho. “E isso também é complicado porque as pessoas acham que a gente usa os filhos para se fazer de vítima, mas não temos com quem deixá-los”.

Esta é a realidade de muita gente que vive nos bairros periféricos da Capital Paranaense. Esta é a Curitiba real, que não está nas propagandas da atual gestão.”

“É uma surpresa conhecer essa realidade. Curitiba não é uma cidade pobre, é uma cidade desigual. E essa desigualdade é reflexo da falta de olhar para determinadas regiões da cidade e determinadas peculiaridades. É preciso olhar para o todo e encontrar soluções para os diversos problemas sociais que hoje Curitiba enfrenta. E o Goura tem se mostrado um cara que tem a capacidade de escutar as pessoas, o que faz toda a diferença na política. Os gestores aqui gastam muito com propaganda e não mostram de fato a realidade como ela é”, afirmou o deputado federal pernambucano, Túlio Gadelha (PDT) que acompanhou Goura na visita ao Parolin.

Invisibilidade dos trabalhadores e trabalhadoras

A candidata a vereadora pelo PDT, Josi da Reciclagem, que também é moradora do Parolin, lembrou que o trabalho diário de um catador de papel evita o corte de cerca de 30 árvores. “A gente ajuda o meio ambiente e limpa a cidade de Curitiba. É um trabalho muito bonito e não é reconhecido pela sociedade e nem pela administração pública”, frisou.

O candidato a prefeito de Curitiba, Goura 12, destacou que cada catador ou catadora recolhe cerca de 400 a 500 quilos de material reciclado por dia e são invisibilizados pela atual gestão. “Não recebem apoio na forma de equipamentos de proteção individuais, não têm barracões, prensas ou balanças. Isso é o mínimo que pessoas precisam para ter mais renda e proteção”.

Goura lembrou que em 2017, a prefeitura gastou R$ 11 milhões com propaganda.  No ano seguinte, o gasto subiu para R$ 24 milhões e, em 2019, os dados não foram divulgados. “Mas sabemos que em 2020, já passa de R$ 10 milhões”, afirmou.

 

 

shares
× Fale com o Goura