“Catadoras e catadores de materiais recicláveis serão valorizados na nossa gestão”, diz Goura

“Catadoras e catadores de materiais recicláveis serão valorizados na nossa gestão”, diz Goura

“Vamos trabalhar por uma Curitiba Lixo Zero. Por uma gestão com uma agenda ambiental, uma agenda social e uma agenda econômica que vão caminhar lado a lado  e gerar oportunidades para os catadoras e catadores e para toda a população”, disse Goura, nesta quarta-feira (11), ao participar de encontro com integrantes de associações e cooperativas que trabalham com coleta, triagem e comercialização de materiais recicláveis, em Curitiba.

Goura esteve nos barracões da Rede Cataparaná, que reúne 30 grupos e cooperativas de catadores e beneficia diretamente 600 pessoas, e da Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Curitiba e Região Metropolitana (Catamare).

O encontro foi organizado pelo Instituto Lixo e Cidadania (ILIX), que é uma associação civil sem fins lucrativos, e pela entidade Amigos da Natureza. Goura assinou a carta compromisso com as catadoras e catadores de materiais recicláveis, que propõe um novo paradigma na gestão de resíduos, compatível com as exigências da Política Nacional de Resíduos Sólidos e pela valorização desses trabalhadores.

Política de respeito e apoio aos catadores

“Curitiba precisa ter uma política pública que respeite os catadores e que promova a reciclagem, a separação dos resíduos, a compostagem e seja ambientalmente correta”, afirmou Goura.

Ele disse ser contra as propostas do governo estadual e federal de incineração do lixo. “A gente sabe que isso vai atender interesses econômicos e não os interesses das pessoas que dependem da coleta desses materiais para sua subsistência”, frisou.

Lixo e cidadania

A representante do Instituto Lixo e Cidadania, Rejane Paredes, destacou que a situação dos trabalhadores e trabalhadoras é indigna no que diz respeito às condições de trabalho.

“Os catadores são responsáveis por 90% de tudo o que é reciclado no país. E 50% do material que vem para o barracão é rejeito, não tem venda, volta para o aterro. E eles não recebem por esse trabalho de separação”, denunciou.

“Queremos um prefeito que olhe para essas pessoas, que respeite e atenda as demandas dessa categoria tão importante. Ninguém está pedindo nada de graça, queremos que eles tenham condições dignas de trabalho”, frisou.

Confira abaixo a galeria de fotos:


Cooperativas de catadores

Valdomiro Pereira da Luz, presidente da Cataparaná, afirmou que a prioridade dos catadores, além de um contrato respeitoso, é moradia, escola e um barracão para imigrantes. “Catador que trabalha na rua, que tem que trabalhar de dia para comer de noite, precisa de apoio para poder melhorar de vida. Sem essa ajuda não vamos mudar a realidade dessas pessoas”, afirmou.

“A Prefeitura de Curitiba não faz muito pela gente. Temos condições precárias de trabalho e as instalações dos barracões só não são piores porque nós fazemos o que podemos para manter”, disse Maria José de Oliveira, a Lia, uma das mais importantes líderes da categoria e integrante do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR).

Ela explicou que Curitiba conta com 40 barracões para separação de recicláveis contratados ainda na gestão do ex-prefeito Gustavo Fruet, que integram o Programa Ecocidadão da Secretaria Municipal do Meio Ambiente. “O programa não foi renovado e na atual gestão da prefeitura não atende mais as necessidades dos catadores. precisamos de um novo prefeito para mudar esta realidade e o Goura é a alternativa”, disse Lia.

 

shares
× Fale com o Goura