Em debate da TV Band, Goura aponta desperdício de dinheiro público e inversão de prioridades da atual gestão

Em debate da TV Band, Goura aponta desperdício de dinheiro público e inversão de prioridades da atual gestão

O candidato Goura, do PDT, se destacou por apresentar propostas relevantes e factíveis para administrar Curitiba durante a segunda parte do debate entre os postulantes à Prefeitura de Curitiba promovido pela BandTV, na noite desta quarta-feira (14) e que terminou no início da madrugada desta quinta-feira (15).

O deputado estadual se mostrou bem preparado neste debate que também contou com a participação dos candidatos Leticia Lanz (PSOL), Professora Samara (PSTU), Carol Arns (Podemos), Christiane Yared (PL), Diogo Furtado (PCO), Eloy Casagrande (Rede) e Zé Boni (PTC).

Goura abordou temas de extrema importância para a população curitibana. Tratamento de resíduos e política Lixo Zero, retomada da economia pós-pandemia, habitação, pessoas com deficiência, mobilidade urbana e educação foram alguns dos temas abordados.

“Queremos juntos construir uma cidade mais democrática, mais justa e mais inclusiva. Com desenvolvimento social e econômico e com políticas públicas que promovam a redução das desigualdades sociais e a preservação do meio ambiente”, frisou Goura logo na apresentação.

Tratamento de resíduos e política lixo zero

“Curitiba gasta em média R$ 200 milhões para enterrar lixo em Fazenda Rio Grande. É muito desperdício de dinheiro público”, criticou Goura. O candidato defendeu uma política municipal, alinhada com a política nacional de tratamento de resíduos sólidos para combater desperdícios; atenção especial aos catadores de materiais recicláveis; política de compostagem de tratamento de resíduos domésticos em casa e também a implantação de pátios públicos de compostagem.

“A gente convive diretamente com milhares de catadores, mas que são invisíveis para a administração pública. Estive no Parolin e o pessoal não recebe nem os equipamentos de proteção individual”, relatou.

Retomada econômica pós-pandemia

Goura defendeu a retomada da economia de forma descentralizada em todos os bairros de Curitiba, com incentivo ao comércio local e à economia criativa.

“Curitiba perdeu 40 mil postos de trabalho formais, principalmente na área de serviços da cidade. Os pequenos e microempresários devem ser estimulados pela prefeitura. Vamos fortalecer a economia solidária, que já existe em nossa cidade e precisa do apoio da prefeitura”, disse Goura.

 

Prefeito privilegia empresários do transporte coletivo

Para continuar: “Mas parece que o atual prefeito prefere privilegiar os contratos milionários com os empresários do transporte coletivo. Entendemos que a prefeitura também tem um papel muito importante com as compras públicas, que podem ser direcionadas aos produtores locais”, disse.

A integração da região metropolitana também foi pontuada como uma ação de extrema relevância para a retomada da economia. “Precisamos de ações integradas. Todas as nossas necessidades estão conectadas. Vamos fomentar indústrias limpas na área de tecnologia, informática, saúde, telecomunicações, fomentando empregos em toda a região”, frisou.

 

Cidade inclusiva

Políticas inclusivas que contemplem as pessoas com deficiência também foi destacada como prioridade por Goura 12. “Curitiba tem mais de 20% da população com algum tipo de deficiência e o atual prefeito extinguiu a Secretaria de pessoas com deficiência”, lembrou.

“Uma cidade que tenha um urbanismo que pense e privilegie a pessoa com deficiência vai ser uma cidade boa para todos e todas. O nosso compromisso é criar rotas acessíveis em todos os bairros de Curitiba interligando os grandes centros de compra, os equipamentos de lazer, as escolas da nossa cidade.”

“ Todas essas áreas precisam de inclusão. Temos que valorizar também a língua de sinais, as necessidades das pessoas cegas, de baixa visão, os cadeirantes, enfim, todas as pessoas com deficiências devem ser olhadas e contempladas pelas políticas públicas de Curitiba”.

 

Trânsito calmo para proteger crianças, idosos e pessoas com deficiência

Goura afirmou ser preciso criar uma cidade com um trânsito mais calma, que tenha funciona para proteger crianças, idosos e pessoas com deficiência. Nessa filosofia de trabalho, o candidato do PDT à Prefeitura de Curitiba afirma que pedestres e ciclistas devem ser incluídos para poder se deslocar com segurança e infraestrutura.

“São necessários investimentos maciços em ciclovias para que as pessoas possam se deslocar, principalmente os trabalhadores, de pontos extremos da cidade, como do Cachoeira ao Tatuquara”, disse. Goura lembrou que a pandemia da Covid-19 provocou mudanças nas formas de deslocamento, como uma opção cada vez maior pela bicicleta.

Perguntado sobre sua visão e ações a respeito do transporte coletivo, Goura disse ser preciso promover uma política de “caixa aberta” das finanças que são direcionadas para fazer o setor funcionar. Mas o pedetista disse que hoje, na atual administração, o transporte coletivo atende aos empresários e não cumpre a função social que é de prestar um serviço de qualidade ao seu principal usuário, que é a população.

“A atual gestão tem mostrado que serve aos interesses dos empresários e não da população que depende de um serviço de qualidade”, denunciou Goura.

Como prefeito, ele disse que irá apoiar as investigações em curso do Ministério Público Estadual sobre o atual contrato do transporte, que vence em 2025. “Vamos convocar o Conselho Municipal dos Transportes, o Ministério Público e os vereadores para abrir essa caixa do transporte coletivo”, observou Goura.

 

Habitação de interesse social

Goura afirmou no debate que vai criar a Secretaria Municipal da Habitação para atender a alta demanda por moradia em Curitiba e combater a enorme fila de espera existente na Cohab. O candidato do PDT lembrou que o atual prefeito destinou apenas 0,1% do orçamento geral para construir casa.

“ Essa quantia é ridícula e não tem condições de atender, por exemplo, a população que mora em mais de 400 ocupações irregulares que existem em Curitiba”, disse.

A solução, afirmou Goura, já no início da sua gestão como prefeito, é organizar a Conferência Municipal da Habitação. Ela terá a finalidade de debater com todos os representantes da sociedade saídas para criar uma nova política habitacional para Curitiba.

 

Resgatar referência educacional que atual prefeito perdeu

Goura destacou no debate que é preciso resgatar a referência que Curitiba já foi para o país na área educacional. Curitiba perdeu posições importantes no desempenho da Educação com o atual prefeito. Goura lembrou que no final da gestão do então prefeito Gustavo Fruet, a cidade estava na primeira colocação no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Com o atual prefeito, Curitiba caiu para quarto lugar.

Goura apontou as causas do retrocesso: “O diálogo com o servidor foi cortado, o plano de carreira foi suspenso. É preciso restabelecer o diálogo com os servidores e estender suas políticas públicas para toda a cidade”.

 

Curitiba precisa entrar definitivamente no século XXI

Nas considerações finais, Goura ressaltou a importância do debate para a democracia e agradeceu os candidatos e candidatas que participaram. “Curitiba precisa de um prefeito que esteja à altura dos enormes desafios sociais e ambientais que os novos tempos exigem. Curitiba precisa de uma prefeitura onde democracia e participação não sejam palavras vazias, mas sejam a prática efetiva do dia-a-dia. Curitiba precisa entrar definitivamente no século XXI e assumir seu papel como metrópole moderna, inovadora e integrada, que promova justiça social para todas as pessoas.”

 

shares
× Fale com o Goura