Goura estreia série diária de entrevistas “Go Dia” com especialistas de diversas áreas do conhecimento

Goura estreia série diária de entrevistas “Go Dia” com especialistas de diversas áreas do conhecimento

O candidato do PDT à Prefeitura de Curitiba, estreou, na manhã desta segunda-feira, o “Go Dia”, um evento diário que será realizado pelas redes sociais ao longo da campanha para debater soluções urgentes para a cidade com especialistas e moradores. O tema de abertura foi o apoio ao esporte e lazer e suas várias consequências positivas para as comunidades que usam praças e quadras nos bairros.

De acordo com Goura, por meio da promoção de atividades em espaços públicos com o devido cuidado promovido pela Prefeitura, a população recebe vários benefícios como retorno: cuidados com a saúde pessoal, opções de lazer perto de casa e a sensação de mais segurança, com os próprios moradores assumindo a ocupação de sua própria região.

Para debater este tema, Goura dialogou com o fotógrafo, músico e fã do basquete amador Douglas Gavinho, morador do bairro Uberaba, e a professora universitária Simone Rechia, coordenadora do Geplec (Grupo de Estudos e Pesquisas em Lazer, Espaço e Cidade da Universidade Federal do Paraná – UFPR).

Confira a conversa:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Goura (@goura_nataraj) em

“As pessoas precisam ocupar a cidade, precisam sentir que a cidade lhes pertence. Para isso, é preciso ter políticas públicas. A sensação de segurança é muito maior quando temos pessoas nas ruas. Jane Jacobs, uma das maiores urbanistas no mundo, fala que a vida da cidade se aprimora quando existe essa ocupação pelas pessoas”, destacou Goura.

Douglas Gavinho, durante a conversa com Goura, falou de sua experiência como usuário de uma quadra de basquete na região do Uberaba. O morador criticou a falta de uma política pública que garantisse a manutenção do espaço público, bastante aproveitado pelos amantes do basquete amador, mas também por famílias em geral que aproveitam o espaço para levar cultivar plantas e proporcionar atividades de lazer ao ar livre com crianças.

“Vejo praças no Uberada e Jardim das Américas, que acabaram sendo mal planejadas, com obras a toque de caixa. Não é preciso uma quadra de primeiro mundo, mas queremos uma estrutura que dê para usar, seja bem planejada”, afirmou Douglas. Goura afirma que essas situações podem ser evitadas se a Prefeitura adotar uma postura oficial de ouvir os moradores e saber, de fato, quais as necessidades para aprimorar esses espaços públicos de forma correta.

Durante o debate, Douglas e Goura expuseram que o espaço público bem cuidado pelo poder municipal acaba rendendo outros benefícios para os moradores: além de opção de lazer e do já mencionado reforço na segurança, a atividade esportiva gera uma saúde melhor para todos, proporcionando que os moradores daquela região tenham qualidade de vida, desafogando inclusive a pressão sobre o sistema de saúde pública.

“Temos que apoiar essa prevenção, que como se percebe, gera inúmeros benefícios. A gente está falando de integração de políticas, de esporte, de promoção da cidadania, e fortalecimento da saúde. Penso que a promoção da saúde, com apoio a estilos de vida saudáveis, alimentação consciente, do esporte e lazer, são condições importantes para ter uma população mais saudável, deixando de onerar o sistema de saúde”, ressaltou Goura.

Ouvir as universidades

O candidato Goura firmou compromisso durante a primeira edição do “Go dia” de ouvir os especialistas das universidades públicas e privadas que pesquisam soluções urbanas. Ele apresentou a proposta durante conversa com a professora Simone Rechia, da UFPR. Goura chamou a atenção que atual administração não tem tido a preocupação de estabelecer uma política pública para cuidar dos espaços de lazer e abrir voz e oportunidade para os pesquisadores sugerirem e aplicar soluções.

“Estamos falando de uma questão social que está no artigo sexto da Constituição Federal, que é o direito ao esporte. Esse direito social é um dever do estado em proporcionar isso. Mas quando se fala da cultura, esporte e lazer, parece que fica uma perfumaria, que essas questões que vem ao encontro do desenvolvimento humano e afetivo ficam num plano inferior. Não pode ser assim”, afirmou Simone.

A professora da UFPR acrescenta: “É insustentável ao ser humano que o trabalho assuma todas as questões do cotidiano, deixando em segundo plano questões, como o lazer e o cuidado com sua qualidade de vida. Com pandemia da Covid-19, a ficha caiu e percebemos que era preciso ter uma relação mais equilibrada entre o trabalho e lazer. Não posso ter uma mobilidade extensa, mas posso me deslocar no bairro. A saúde deve ser apoiada não apenas como forma de doença, mas para viver de forma sustentável, em relação a você mesmo, com outro e o bairro. Desconstruir ideia de lazer de consumo, e retomar a ideia do ócio com a possibilidade de se reencontrar com você, com o outro, a natureza ao redor e cidade. O sujeito necessita de um tempo de recuperação para contribuir de forma mais harmônica com a sociedade.”

Goura afirma que projetos voltados ao lazer tem que ser estratégicos no combate à pandemia. “Quando se fala de política do lazer, tem gente que acha que é coisa menor, e não sabe que ela está ligada à saúde física e mental. A pandemia tem provocado quadros depressivos, de ansiedade. Portanto, não é para alguns privilegiados ter acesso ao ócio. É como a Simone falou, é um direito constitucional e tem consequências diretas ao nosso equilíbrio psicofísico”, afirmou o candidato.

Resgate da tarifa domingueira

A professora Simone Rechia também lembrou que é preciso ter uma política conjunta para todos os bairros da cidade, e não apenas para valorizar tradicionais pontos turísticos. “A população precisa de apoio e cuidados perto de casa, não apenas em certos pontos tradicionais”, declarou a especialista da UFPR. Goura lembrou que essa valorização dos espaços públicos passa também pelo resgate da tarifa “domingueira”, suspensa pela atual prefeito. Com passagem de ônibus a R$ 1, famílias inteiras de bairros distantes puderam aproveitar mais os espaços públicos aos domingos. “Temos que voltar a olhar para os 75 bairros da cidade, principalmente os mais carentes”, disse Goura, que cumpriu durante o final de semana um giro por região da CIC, constatando a falta de presença do poder público em setores como saneamento básico, energia e também nos espaços que poderiam ser alternativa de encontro e lazer para aquela população.

Para que o tema continue gerando debates, Goura sugeriu aos apoiadores que mandem para as redes sociais fotos e vídeos sobre o estado em que se encontram praças públicas e quadras esportivas da cidade. As situações serão levadas ao conhecimento da Prefeitura para que as providências sejam tomadas.

shares
× Fale com o Goura