Goura vai promover a arte e a cultura produzidas nas periferias de Curitiba

Goura vai promover a arte e a cultura produzidas nas periferias de Curitiba

A descentralização da cultura e a inserção dos artistas periféricos nos processos culturais de Curitiba foi tema de uma conversa entre o candidato a prefeito Goura e a candidata a vereadora Made Santos, nesta segunda-feira (19), nas Ruínas de São Francisco, na Praça João Cândido. Um espaço cultural que tem um tablado que serve de palco e uma arquibancada.

Goura lembrou que a descentralização de todas as atividades é uma das suas propostas para Curitiba “Temos que ver os 75 bairros como unidades que precisam ser estimuladas tanto na cultura como na mobilidade, na educação, na saúde e na economia. Temos que entender que a cultura funciona como um propulsor da economia na medida que também movimenta outros setores como a gastronomia e o pequeno comércio”, pontuou.

Estímulo e reconhecimento aos artistas periféricos

“Estamos aqui, nesse espaço grandioso, mas que os artistas periféricos não têm a oportunidade de se apresentar. Só é utilizado por uma cúpula que sempre utiliza dos grandes espaços, que sempre conseguem recursos dos editais.”

“E nós temos artistas periféricos muito bons e queremos que eles ocupem esses espaços também. A arte é para todos, foi feita para todos. Então todos têm o direito de mostrar a sua arte, de fazer a sua arte”, ponderou Made Santos, que é artista e educadora social.

Made Santos lembrou ainda que existem diversos tipos de artes, como por exemplo o Hip Hop e o Grafite, que sofrem discriminação. “Esses artistas vivem à margem da sociedade. Não são considerados artistas”, disse.

Para ela, muitos acham que a cultura da periferia não tem nada a acrescentar a uma cidade elitista e seletiva como Curitiba. “É necessário tirar esses artistas das sombras e trazê-los à luz para que a cidade conheça esse trabalho. Eles têm muito a contribuir”, assegurou.

Cultura para todos

Goura afirmou que a democratização do acesso à cultura é um direito e deve ser estendido para toda a cidade, não apenas aos setores privilegiados. “Vamos valorizar a arte urbana, distribuir igualitariamente os equipamentos culturais nos bairros e periferias, descentralizar as atividades culturais e ocupar os espaços públicos com o melhor da nossa arte”, garantiu.

Made sugeriu a criação de núcleos culturais na periferia com o apoio da prefeitura, da Fundação Cultural e das outras secretarias relacionadas. “É importante esse alinhamento porque quando se fala em editais, por exemplo, muitas pessoas não sabem nem por onde começar o processo para participar. E quero falar aqui, com todo respeito, aos artistas que estão há muito tempo nessa caminhada, que eles não precisam ter medo. Há espaço para todo mundo”.

Abandono e falta de cuidado com espaços culturais

Goura aproveitou a oportunidade para chamar a atenção da prefeitura sobre a falta de manutenção do tablado das Ruínas de São Francisco. “Peço aos meus amigos da prefeitura que estão acompanhando o nosso trabalho, que deem uma olhada nesse tablado, tem pontas de madeira se soltando e pregos que podem causar sérios acidentes para quem passa por aqui”, alertou.

shares
× Fale com o Goura