Goura visita Feirinha do Largo da Ordem e firma compromisso com a economia criativa

Goura visita Feirinha do Largo da Ordem e firma compromisso com a economia criativa

Em visita a tradicional Feirinha do Largo da Ordem, o candidato a prefeito de Curitiba pelo PDT, Goura 12, manifestou total apoio aos feirantes que tentam, a duras penas, reestabelecerem as atividades depois de meses parados por causa da pandemia do novo Coronavírus. A falta de apoio do poder público municipal para que as atividades sejam retomadas em segurança é a principal reclamação dos feirantes.

“Estamos aqui ouvindo os feirantes e manifestando nosso compromisso com as políticas de geração de emprego, de geração de renda, de apoio aos feirantes, ao artesanato de nossa cidade. Além da Feira do Largo da Ordem, e demais feiras livres, toda a cadeia que move a economia criativa deve ser estimulada”, afirmou Goura.

 

Goura e a candidata a vice-prefeita, Ana Moro, percorreram toda a feira conversando e ouvindo os feirantes. “Falta de apoio logístico para os trabalhadores, para os consumidores e também para os visitantes da feira foram as principais reclamações ouvidas”, afirmou Goura. “É um setor que está sofrendo e a gente tem que ter um olhar especial para eles, inclusive no pós-pandemia”, completou Ana Moro.

O candidato a prefeito ressaltou que é necessário estimular a integração de políticas de turismo, de meio ambiente e, junto com a Fundação Cultural, incentivar cada vez mais os artistas de rua e as manifestações culturais nos espaços públicos.

Carta de reivindicações

Após a conversa com os feirantes, representantes do Sindicato dos Artesãos (Sindiartec) se reuniram com o candidato Goura 12 para entregar uma carta de reivindicações e propostas a serem implementadas na próxima gestão.

Os feirantes propõem a expansão da área da feira para que as 1300 famílias de feirantes voltem a trabalhar com distanciamento social seguro e reivindicam o apoio intensivo das secretarias de Saúde, de Assistência Social e de Segurança Pública para que todos os protocolos sanitários sejam seguidos, dando assim, seguranças aos consumidores e turistas que visitam a Feirinha.

“Essa carta é um resumo do anseio de todos esses anos da Feirinha do Largo. São várias situações que estamos listando, inclusive de administração.  Esperamos que pelo menos algumas destas propostas que se tornem viáveis”, afirmou Tieme Roseli Takahashi.

Falta sensibilidade da atual gestão

“Infelizmente o atual prefeito acabou com a nossa feira de artesanato na Praça Rui Barbosa. Nós tínhamos quarta, sábado e véspera de datas especiais para trabalhar. É constatado que ele não é amigo dos artesãos. Embora fale tanto de Cultura, a cultura dele deve ser pessoal, não é uma cultura ampla e não é voltada para o povo curitibano”, desabou o feirante Wilson Guimarães.

Goura afirmou que todas as propostas apresentadas são sensatas e terão atenção especial em sua gestão. “Todas as feiras de artesanato, as feiras livres, as feiras de orgânicos, precisam de um apoio do poder público, principalmente nesse período e devem ser estimuladas pela prefeitura”, pontuou.

Tradição

A Feirinha do Largo existe há 47 anos. “É um patrimônio da cidade de Curitiba, que gera o desenvolvimento do turismo, do emprego, da renda, da preservação da cultura da nossa cidade, do fortalecimento dos saberes manuais dos artesãos e artesãs de Curitiba que expõem ali seus trabalhos”, ressaltou Goura.

Depois de meses fechada, por conta da pandemia, a prefeitura permitiu a reabertura da Feirinha com no máximo 300 expositores em sistema de rodízio entre os artesãos e artesãs.

“A importância da Feirinha do Largo é muito grande porque movimenta toda uma cadeia. Gera renda do turismo e estabilidade não só para as famílias dos expositores, mas para o município”, afirmou Odair Marlier.

shares
× Fale com o Goura